Análise espacial de serapilheira foliar em parcela permanente, Amazônia Ocidental, Rondônia: comparação de diferentes métodos

Gabriel Araújo Paes Freire, Ranieli dos Santos de Souza, Dione Judite Ventura, Yves Dias Brito, Igor Georgios Fotopoulos

Resumo


A matéria orgânica, conhecida como serapilheira, proveniente da senescência das estruturas vegetais, é de suma importância para manutenção dos ecossistemas florestais visto que, este material, nas florestas tropicais, pode representar até 90% da produtividade primária líquida. Mediante isto, o objetivo deste estudo foi avaliar diferentes métodos de interpolação para espacialização de dados de serapilheira foliar em uma área de floresta primária de terra firme localizada na Reserva Biológica do Jaru, Rondônia, província Ocidental da Amazônia. A coleta de serapilheira foi realizada entre maio de 2016 e abril de 2017, em uma parcela permanente de 1 hectare (100x100 m), utilizando 25 coletores de 0,50x0,50 m. A análise espacial foi realizada pelos métodos determinísticos Inverso da distância ao quadrado (IDW) e Vizinho natural (NN). A produção de serapilheira foliar para o período de estudo foi de 8,34 Mg.ha-¹.ano-1, com maior produtividade entre julho a outubro de 2016, compreendendo o período seco e de transição seco-chuvoso. O método Vizinho natural foi o que apresentou melhor ajuste do modelo, embora, não tenha ocorrido diferença significativa (α = 0,05) entre os dois interpoladores utilizados na espacialização dos dados.


Texto completo:

PDF


Contador de Acessos/ Access Counter


Mapa de Acessos/ Access Map