LENDO A LITERATURA CHICANA COMO TEXTO DESCOLONIZADOR: UM COMENTÁRIO SOBRE LEVANTE-SE, NÃO TENHA MEDO, DE AARON ABEYTA

Miguel Neneve, Rose Siepamann

Resumo


A literatura Chicana tem se engajado numa complicada história de atividade política, desde há muito tempo. De certa forma as lutas dos descendentes de mexicanos e hispânicos contra a estrutura política Norte-Americana e contra todas as desigualdades resultantes desta política foram surgindo naturalmente desde a conquista do México pelas forças estadunidenses. L. D. Taylor em sua obra El Nuevo Norteamericano: Integración Continental, Cultura e Identidad Nacional (2001, p. 67) vai além ao afirmar que a mestiçagem dos povos indígenas com os colonos espanhóis em outros países, como também a fusão do catolicismo com religiões nativas, geraram uma característica especial totalmente diferente das forças colonizadoras norte-americanas que mantinham a “pureza” européia anglicana. Taylor afirma que isso também fez do México “... un pais marcadamente diferente de las regiones colonizadas pelos europeus en la parte setentrional del continente americano, e incluso las demás republicas latinoamericanas” (L D Taylor, 2001 p 67). Neste artigo pretendemos explorar algumas das características da literatura chicana, suas estratégias de descolonização presentes no livro de Aaron Abeyta, Rise do not be afraid (200).


Palavras-chave


descolonização, religiosidade, literatura chicana

Texto completo:

PDF


Campus da Universidade Federal de Rondônia

Centro de Documentação e Estudos Avançados sobre Memória e Patrimônio de Rondônia - CDEAMPRO

BR 364, Km 9,5 - CEP: 78900-000 - Porto Velho - RO

E-mail: luciano_leal_lima@msn.com