GESTANTES: CONHECENDO OS BENEFÍCIOS DA PRÁTICA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA, EM PORTO VELHO, RONDÔNIA.

Imanuel Prado Ferreira, Leila Aparecida Evangelista, Adriane Corrêa da Silva, Eliane Elicker

Resumo


O Ministério da Saúde (2001) relata que a gravidez não é um estado patológico, nem uma debilidadede doenças ou inatividade, mas uma fase de diversas modificações anatômicas, fisiológicas ehormonais somado às transformações músculo-esquelético, emocionais, circulatórias e respiratórias,estimulando adequadamente o feto para que possa crescer e se desenvolver durante esse período.Parafraseando Dutra & José (1998), a gravidez é um fenômeno fisiológico que acarreta uma série detransformações no organismo materno, com a finalidade de garantir o crescimento e odesenvolvimento do feto e, ao mesmo tempo, de proteger o organismo materno, fazendo com que, aofinal do processo, a gestante encontre-se em condições de saúde satisfatória e apta para o processode lactação. Estas alterações são ocasionadas por necessidades funcionais e metabólicas doorganismo determinadas pelo período de aproximadamente 38 a 42 semanas de gravidez. Durante agestação ocorrem alterações do metabolismo protéico, lipídico e glicídios; aumento do débitocardíaco, alterações na pressão arterial, alterações na dinâmica respiratória; modificações do apetite,náuseas e vômitos, as quais permitem que a mulher suporte a sobrecarga de gerar um novoorganismo (REZENDE et al, apud SILVA, 2004). Resende apud Nogueira (2007), observa quetambém há alterações no sistema musculoesquelético, como abdômen protuso, hiperlodose lombar edistensão da musculatura abdominal, alterando significativamente a postura da gestante em seu dia adia, necessitando de atividades musculares compensatórias.

Texto completo:

PDF