ÁGUA DE BEBEDOUROS EM CONDIÇÕES DE PASTEJO E SUA INFLUÊNCIA NA SORÇÃO DE FÓSFORO

Karina Galvão, Wanderson Cleiton Schmidt Cavalheiro, Wesley da Cunha Alves, Rosalvo Stachiw, Edner Baumhardt, Elvino Ferreira

Resumo


Em climas quentes, a ingestão de água tem papel fundamental para regulação dos níveis térmicos fisiológicos do corpo dos animais, sendo este, um dos mecanismos de combate às elevadas temperaturas. A quantidade e a qualidade da água ingerida são elementos fundamentais para o processo de produção, seja qual for o sistema de criação, uma vez que interfere diretamente na nutrição de animais a pasto pela sua composição, bem como pelo volume ingerido. Em Rondônia é comum se observar bebedouros escavados no pasto. A água retida para ser disponibilizada para os animais nestas condições pode herdar características do solo as quais promovem a sorção de Fósforo. Assim, objetivou-se avaliar a interferência na disponibilidade de Fósforo (P) em águas disponibilizadas para ruminantes em condição de pastejo. Para tanto se estimou o teor de argila em suspensão e o potencial de sorção de P pela adaptação do método Mehlich 1. Nos bebedouros que apresentaram os maiores teores de argila foram os que apresentaram a maior interferência na disponibilidade de fosfato em solução.

Texto completo:

PDF


Contador de Acessos/ Access Counter


Mapa de Acessos/ Access Map