Métodos de superação de dormência de canafístula (Cassia fistula L.)

Yfigenia Fernandez Cruz, Andreza Pereira Mendonça, Marta Betânia Ferreira Carvalho, Yaneth Von Dockren Salvatierra, Nestor Mauricio Cajias Chaves, Alcira Justiniano Dorado

Resumo


O objetivo do trabalho foi determinar o método de superação de dormência mais adequado à qualidade fisiológica das sementes de Cassia fístula. Os frutos foram coletados em Ji-Paraná, RO, Brasil. As sementes foram submetidas aos tratamentos: testemunha; desponte; desponte, seguido de repouso em água por 24 horas; escarificação com lixa; escarificação com lixa, seguida de imersão em água por 24 horas; ácido sulfúrico por 3 minutos e ácido sulfúrico por 5 minutos. Em seguida, foram semeadas em areia lavada. Ao final foram avaliados: germinação, comprimento da plântula, matéria seca. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado com quatro repetições. O software utilizado foi ASSISTAT e as médias, após análise de variância, comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. O tratamento lixa seguida de embebição em água por 24 horas teve maior taxa de germinação (98%), não diferindo estatisticamente do desponte seguida de embebição por 24 horas (95%). As plântulas normais tiveram comprimento similares, diferindo apenas nos tratamentos com ácido sulfúrico por 3 minutos (7,69) e lixa seguido de embebição por 24 horas (6,75). Os tratamentos desponte seguido de embebição por 24 horas e lixa seguido por embebição por 24 horas foram eficientes na superação de dormência da canafistula.


Texto completo:

PDF


Contador de Acessos/ Access Counter


Mapa de Acessos/ Access Map