Manejo florestal Sustentável e a mastofauna amazônica: O caso da fazenda Manoa, Rondônia, Brasil

Marcelo Lucian Ferronato, Paulo Henrique Bonavigo, Mariluce Rezende Messias, Nichollas Magalhães Oliveira Silva

Resumo


Este trabalho consiste em correlacionar a estimativa de riqueza e abundância relativa da mastofauna de médio e grande porte diurna da área de Manejo Florestal da fazenda Manoa, localizada no município de Cujubim no estado de Rondônia, com os impactos da atividade florestal madeireira manejada. A área possui cerca de 70 mil hectares de floresta amazônica, dos quais 83% destinados ao manejo florestal, sendo a maior área privada sob sistema de manejo florestal sustentável do estado.  O levantamento de dados seguiu a metodologia de transecção linear, o desenho amostral foi distribuído em duas trilhas de 6 km de extensão e outra de 5,35 km de extensão, no total foram percorridos 496,5 km e registradas 23 espécies de mamíferos de médio e grande porte. A abundância relativa foi geral de 6,36 avistamentos/10km percorridos. Os resultados demonstram que a extração de madeiras sob o modelo de manejo sustentável empregado na Fazenda Manoa, não causou grandes alterações na constituição faunística dos pontos estudados, uma vez que, a riqueza encontrada nos pontos amostrais foi semelhante. Os resultados sugerem que a mastofauna afugenta-se por um período da área explorada e após a exploração retornam. A presença na área de estudo de predadores de topo como: Puma concolor e Panthera onca, espécies consideradas vulneráveis e/ou ameaçadas de extinção, é um bom indicador de qualidade ambiental, e ressalta a importância desta área para a conservação da biodiversidade amazônica.

Texto completo:

PDF


Contador de Acessos/ Access Counter


Mapa de Acessos/ Access Map