De Pai para Filho: o trabalho e seus sentidos para pais e mães

Daniele dos Santos Fontoura, Adriano Reckziegel, Marlene Valerio dos Santos Arenas, Valmiria Carolina Piccinini

Resumo


Resumo

Hoje mais do que nunca o trabalho encontra-se no centro do debate na sociedade. Diversos estudos têm sido realizados sobre a temática do trabalho, porém, conforme criticam Mercure e Spurk (2005, p.10), estes tem adquirido cada vez mais um tom de instrumentalidade que acabam distanciando-os das questões sociais a ele pertinentes. Assim, caberiam aos estudos “descentrar o olhar da vivência imediata e ressituá-lo no universo rico e complexo das possibilidades”. É nesta linha que se insere o trabalho desenvolvido a seguir, pois ao contrário de limitar-se a apresentar formas para aumentar a produtividade ou oferecer indicações de como lidar com a maternidade/paternidade e o trabalho, busca expandir as discussões e possibilitar o repensar sobre a visão e o sentido do trabalho para indivíduos que se tornaram pais e mães há menos de três anos. Para tanto, buscou-se nos indivíduos e em suas percepções a chave para entender a importância, o espaço que ocupa e o sentido conferido ao trabalho neste momento de mudança na vida dos sujeitos. O estudo caracteriza-se por uma pesquisa de abordagem qualitativa, sendo que os dados foram coletados via entrevistas semiestruturadas. O roteiro de entrevista foi elaborado tomando como base as perguntas utilizadas por Morin (2001) e ampliado com a finalidade de atender aos interesses da pesquisa. Buscou-se, na elaboração do roteiro de entrevista, capturar três momentos da vida do sujeito: a) o momento presente, quando este posicionou-se sobre sua atividade profissional atual e, também, sobre o que é trabalho, de forma ampla, e quais os atributos para que um trabalho faça sentido e um que não faça; b) momento passado, quando foram questionados sobre lembranças da infância em relação à vida laboral dos pais, bem como que mensagem receberam destes no tocante ao trabalho; c) o momento futuro, quando foram inquiridos sobre a visão de trabalho que pretendem passar para o filho. A partir da pesquisa foi possível identificar que a importância do trabalho na vida dos entrevistados sofre alterações com o evento do nascimento do primeiro filho. Isto ficou evidente nas entrevistas, nas quais os pais e as mães relataram que com a paternidade/maternidade o trabalho passou a ter um sentido mais funcional e financeiro, ao relatarem que neste momento eles passam a ser responsáveis pela vida de mais uma pessoa. Porém, também foi possível observar que neste mesmo momento de suas vidas, ocorre um aumento na procura por um equilíbrio entre as esferas pessoal e profissional. Quando questionados sobre quais valores receberam de seus pais a respeito do trabalho, os entrevistados tenderam a respostas relacionadas a valores como comprometimento, seriedade e honestidade. A respeito da visão de trabalho que pretendem passar a seus filhos, a maioria dos entrevistados citou a questão de que gostariam que os filhos trabalhassem em algo que lhes fizesse feliz, desse prazer e fosse satisfatório. Nenhum dos entrevistados citou que gostaria que o filho seguisse alguma profissão específica, apesar de o aspecto funcional/financeiro do trabalho ter aparecido em algumas poucas respostas.


Palavras-chave


Sentido do trabalho - maternidade - paternidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v6n2p39-58

INDEXADORES

 

Logo DIADORIM
Este Periódico possui Licença Creative Commons CC BY-NC-ND 4.0

 

contador grátis