ANÁLISE EMPÍRICA DA COMPETITIVIDADE DO ETANOL BRASILEIRO (1999-2016)

Alison Geovani Schwingel Franck, Laís Viera Trevisan, Giulia Xisto de Oliveira, Francine Vanessa Ziani, DANIEL ARRUDA CORONEL

Resumo


Com o objetivo de atender à demanda global de energia, o mercado internacional de biocombustíveis, com destaque para o etanol, vem cada vez aumentando a competitividade entre países a fim de desenvolver e melhorar seus produtos, além de oferecer confiança e transparência. Por isso, o objetivo deste trabalho foi o de analisar a competividade do etanol produzido no Brasil em comparação com a produção dos Estados Unidos, da França e da Holanda. Para tanto, foi utilizado o Indicador de Desempenho das Exportações (DES), o Índice de competição (IC) e o Índice de Vantagem Comparativa Revelada, com dados relativos ao período de 1999 a 2016. Os resultados mostraram que as exportações brasileiras de etanol possuem capacidade para aumentar a sua participação no mercado mundial do produto, além de possuir vantagens comparativas em relação aos demais países. Já a França e a Holanda destacam-se no crescimento das suas exportações de etanol, que foram proporcionalmente maiores que as exportações totais de outros produtos. Ainda nesta perspectiva, cabe ressaltar que os Estados Unidos mantêm a hegemonia neste mercado por meio da competividade do produto e da quantidade exportada.

Palavras-chave


Comércio Internacional; Competividade; Etanol.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v10n3p53-72

INDEXADORES

 

 
Este Periódico possui Licença Creative Commons CC BY-NC-ND 4.0

 

contador grátis