COOPERATIVISMO: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA A COMPETITIVIDADE DE PEQUENOS E MÉDIOS PRODUTORES

DIULIA MARIANA DALEMOLLE PIENIZ, ANA MARIA DE LIMA, SANDRO BENEDITO SGUAREZI, JOSE JACONIAS DA SILVA

Resumo


O objetivo central deste estudo é analisar quais os limites e as possibilidades do cooperativismo como fator de competitividade na visão dos pequenos e médios produtores de soja e de milho no município de Campos de Júlio, MT. O cooperativismo é explicado como um sistema justo, igualitário e participativo, indicado para atender as necessidades de uma classe organizada, o que pode ser o caso dos pequenos e médios agricultores do município estudado. A metodologia utilizada foi de pesquisa de campo, documental e bibliográfica, com abordagem de análise qualitativa. Os resultados apontam que o processo de concentração de áreas no município é intenso, porque 82% do total da área rural é cultivada por grandes produtores. O cooperativismo é considerado viável para os problemas apontados pelos pequenos e médios produtores entrevistados, fortalecendo a classe produtora com maior poder de barganha, ganho de escala e maior lucratividade. Paradoxalmente, apesar de o modelo ser conhecido pelos entrevistados como meio de obter vantagens competitivas, percebe-se que não há iniciativas autogestionárias nem lideranças para dar início ao processo da constituição de uma cooperativa de produtores rurais no município.

 

 

 

PDF(clique aqui)

DOI: 10.18361/2176-8366/rara.v7n3p27-53 


Palavras-chave


Agronegócio. Concentração de renda. Competitividade. Cooperativismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v7n3p27-53

INDEXADORES

 

 
Este Periódico possui Licença Creative Commons CC BY-NC-ND 4.0

 

contador grátis