EDUCAÇÃO IN/CLUSIVA: lacunas e possibilidades na escolarização dos estudantes com deficiências.

Carla Fabrícia Conradt

Resumo


RESUMO - O artigo é parte do estudo de caso que investigou o processo de escolarização dos estudantes com deficiências de uma escola do município de João Neiva/ES. A pesquisa envolveu professores, cuidadores e alunos no período de 2013 a 2014. A metodologia cartográfica revelou, por um lado, as lacunas de uma educação que não favorecem ao processo almejado, onde insinuamos a concepção de uma educação “in/clusiva”, ou seja, “não inclui”. Por outro lado, sinalizou as possibilidades de se viabilizar, de fato e de direito, a busca por uma escola inclusiva. As falas dos profissionais do ensino e as desestruturas da instituição escolar, das famílias locais com a descontextualização das avaliações externas emergiram como desafios para a permanência desses estudantes. As concepções abordadas pelos interlocutores sobre as terminologias de alunos “portadores” de deficiência, de necessidades especiais, desde a Declaração de Salamanca (1994) até as leis brasileiras, regulamentada pelo decreto 6949/2009, apontaram fortes indícios das necessidades de compreender as especificidades dos estudantes com deficiências, de buscar a formação de profissional especializado e de uma formação continuada para exercer essa tarefa de incluir, ao mesmo tempo, de educar para a gênese humana e efetivar o processo de escolarização e inclusão para a vida.

 

Palavras-chave: Inclusão. Educação inclusiva. Estudantes com deficiências. Escolarização.


Palavras-chave


Inclusão. Educação inclusiva. Estudantes com deficiências. Escolarização.

Texto completo:

PDF


Periódico com início em 2018.  Avaliação Qualis 2017-2018-  B3
Indexado em: