Do riso ou anatomia da dissimulação (ironia, humor e paródia no texto Aurora sem dia, de Machado de Assis)

Osvaldo Duarte

Resumo


O artigo analisa o conto Aurora sem dia, de Machado de Assis, através da ótica do estilo. Sob esse prisma, examinam-se os traços enunciativos que configuram o discurso estético de matriz irônica e o modo como esse discurso, ao estruturar-se, estrutura o sujeito e o objeto da ironia.


Palavras-chave


Machado de Assis: ironia; humor; paródia; foco narrativo; enunciação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.