MULHERES INDÍGENAS KARITIANA, INDO, VINDO, FAZENDO, SOMANDO, DANÇANDO, VIBRANDO E SENDO: UM ESTUDO PÓS-CRÍTICO DA RELAÇÃO DO CORPO NA PRODUÇÃO DOS PROCESSOS PRÓPRIOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM

João Carlos Gomes, Noraides Ferreira de Almeida

Resumo


O presente artigo apresenta uma abordagem sobre a relação das mulheres Karitiana com o corpo na produção da linguagem nos processos próprios de ensino e aprendizagem da educação escolar indígena. O estudo trata-se de um projeto de pesquisa no âmbito do Mestrado Acadêmico em Letras (ML), Grupo Pesquisador em Educação Intercultural (GPEI) da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). O corpus da pesquisa foi desenvolvido no campo de estudos culturais com base na metodologia pós-crítica dos estudos etnográficos com enfoque em letras. Para alcançar a melhoria da qualidade da educação escolar nas comunidades indígenas, os professores buscam aperfeiçoar os processos próprios de ensino e aprendizagem da língua Karitiana – considerada a única remanescente da família linguística Arikém –, bem como da valorização da identidade cultural do Povo Karitiana. O presente estudo e pesquisa mergulhou no universo das mulheres Karitiana visando identificar a identidade cultural feminina como forma de compreender a linguagem do corpo na constituição dos processos próprios de ensino e aprendizagem no contexto da aldeia. Acredita-se que o presente estudo contribuiu sobremaneira para lançar luzes quanto à questão da identidade cultural feminina Karitiana, bem como a sua função cultural na produção dos saberes indígenas no contexto da comunidade.


Texto completo:

PDF