MITO: RUÍNA E RESTAURAÇÃO EM MEU DESTINO É SER ONÇA, DE ALBERTO MUSSA

Jorge Lucas Souza Monteiro

Resumo


Neste artigo, faço uma breve análise do trabalho feito por Alberto Mussa e sua restauração do mito da criação tupinambá. Motivado por sua ideia de que todo brasileiro é descendente dos nativos indígenas, Mussa faz um vasto recorte, de diversas fontes, para recriar esse mito, documentado por muitos viajantes, mas fragmentado pela história por conta da colonização européia. O artigo se ampara na ideia da possibilidade de agregar a narrativa nativa à literatura de uma nação que fora colonizada (essa que busca para si constituir uma identidade própria), seja através da literatura praticada pelos próprios indígenas ou pelas mãos de escritores não-nativos que se utilizam da voz indígena através de pesquisas e relatos para fazer literatura, na tentativa de constituir uma literatura nacional própria.

Palavras-chave


Mito. Restauração. Identidade. Literatura.

Texto completo:

PDF


INDEXADORES

Logo Latindex    

Logo DIADORIM

contador de visitantes