“TEMPO, TEMPO, TEMPO, TEMPO": CONCEPÇÃO E UTILIZAÇÃO NO POVO PURUBORÁ DA ALDEIA APEROI EM RONDÔNIA E EM COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATO GROSSO

Anatália Daiane de Oliveira, Edson Caetano

Resumo


O presente artigo tem como objetivo discutir acerca da concepção e da relação com o tempo vivenciado na aldeia Aperoi em Seringueiras, no Estado de Rondônia, única aldeia do povo Puruborá. Trata-se de reflexões realizadas no decorrer de uma pesquisa de doutorado em andamento e que a partir do materialismo histórico dialético e elementos da pesquisa participante, tem o intuito de compreender a produção da vida material e imaterial do povo Puruborá e os saberes construídos e transmitidos durante essa produção, buscando verificar se há indícios da Produção Associada entre esse povo indígena. Os instrumentos utilizados no decorrer da pesquisa de doutorado são a análise documental, a observação participante, entrevistas e oficinas. Conclui-se que no povo Puruborá e em algumas comunidades tradicionais do Estado de Mato Grosso a concepção e a utilização do tempo se difere da lógica do modo de produção capitalista, permitindo uma concretização do processo de humanidade e liberdade do ser humano.

Palavras-chave


Tempo. Povos indígenas. Comunidades tradicionais. Povo Puruborá.

Texto completo:

PDF


INDEXADORES

Logo Latindex    

Logo DIADORIM

contador de visitantes