POLÍTICAS DE AÇÕES AFIRMATIVAS: A IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 11.645/2008 EM MINAS GERAIS

Rogéria Moreira Rezende Isobe, Valéria Moreira Rezende, Neide Borges Pedrosa, Juracy Machado Pacífico

Resumo


Este trabalho apresenta resultado de investigação que teve por objetivo analisar as representações construídas por professores da rede pública municipal de Minas Gerais acerca dos povos indígenas e a forma como abordam a temática nas escolas, tendo em vista as determinações da Lei 11.645/2008. Trata-se de uma pesquisa qualitativa realizada em 2014 que adotou como procedimento metodológico a aplicação de questionário semiestruturado tendo como público alvo professores atuantes em seis municípios do interior de Minas Gerais.  Os dados provenientes dos questionários foram submetidos à técnica de analise de conteúdo e categorizados em três unidades temáticas: povos indígenas e sua presença no Brasil; povos indígenas: identidades e culturas; formas de abordagem da temática indígena nas escolas.  A análise permitiu identificar a ocorrência de representações estereotipadas, historicamente construídas e naturalizadas que posicionam os povos indígenas em um passado estático e não como sujeitos atuantes no Brasil contemporâneo. Quanto à forma de abordagem da temática nas escolas os docentes restringem-se a utilização do livro didático e às comemorações do ‘Dia do Índio’. Os resultados da investigação corroboram o entendimento de que a implementação de políticas de ações afirmativas no campo educacional exige a formulação de estratégias de formação continuada para professores de forma a promover a desconstrução gradual de preconceitos e estigmas para com as comunidades indígenas. 


Palavras-chave


Políticas afirmativas. Relações étnico-raciais. Formação de professores.

Texto completo:

PDF


INDEXADORES

Logo Latindex    

Logo DIADORIM

contador de visitantes