A CRÍTICA E A PERSISTÊNCIA LITERÁRIA: DA DESINTEGRAÇÃO DA PALAVRA A (VERBI-SÔNICO)VISUALIDADE POÉTICA.

José Flávio da Paz

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar as atuais concepções acerca da crítica literária, respeitando seus momentos históricos que marcaram sua evolução, bem como aplicar tais entendimentos ao que se classificou como poesia (verbi-sônico)visual no Brasil, a partir da década de 50 e segunda metade dos anos 60, compreendendo os três momentos essências para a autoafirmação desse estilo no cenário literário. Para tanto, dividimos este trabalho em três partes: o estudo dos termos, conceitos e funções da crítica literária na contemporaneidade; o que caracterizou ou caracteriza os três momentos da poesia (verbi-sônico)visual no Brasil, a partir da poesia concreta, passando pela poesia processo, chegando a poesia intersignos e, no último tópico, trataremos sobre o olhar-pensar merleau-pontyano e as contribuições de Phladelpho Menezes na promoção, não somente da poesia visual, mas também dos aspectos sonoros, verbais, performáticos e midiáticos, formas e meios que a poesia pode e deve utilizar para alcançar o leitor crítico e, não  leitor apenas, mas construtor e expositor dessas expressões artístico-poéticas, uma vez que o ato (re)criativo está subordinado diretamente à uma necessidade comunicativa  humana e perspectiva do corpo em movimento.

Palavras-chave


Crítica literária. Estudo da Literatura Brasileira. Poesia verbi-sônico-visual. Semiótica literária.

Texto completo:

PDF


INDEXADORES

Logo Latindex    

Logo DIADORIM

contador de visitantes