Percepções da pós-colonialidade e da diáspora em Dany Laferrière

Karla Andrea Cândido Rêgo Soares

Resumo


O artigo promove uma discussão sobre a visão do Outro (colonizador) diante do imigrante (negro), no primeiro romance de Dany Laferrière Como fazer amor com um negro sem se cansar (2012). Essas observações partem do conceito de resistência, hibridização desterritorialização; bem como dos estudos pós-coloniais sob a visão de Hall, Bonnici e outros autores que tratam de resistência, identidade e pós-colonialismo. Nesse sentido, pretende-se analisar a ruptura presente na cultura do negro na diáspora, em uma sociedade branca e segregadora. A partir da análise detalhada da obra, pode-se perceber os discursos colonizadores e a supremacia de valores da sociedade burguesa. Busca-se assim, discutir a identidade que o sujeito assume nessas múltiplas inter-relações, observando-se que a identidade de um sujeito não é marcada pelas suas diferenças, mas pelas relações e culturas que compartilha e divide com o Outro. 

Texto completo:

PDF


INDEXADORES

Logo Latindex    

Logo DIADORIM

contador de visitantes