Amaro: o anti-herói naturalista

Rondinele Aparecido Ribeiro

Resumo


 

 

 Para Lukács, o romance é a forma literária que corresponde à fratura entre o sujeito e o mundo vivida pelo homem moderno, designado pelo teórico de herói problemático. Assim, para o autor,o romance é a epopeia de uma era para a qual a totalidade extensiva da vida não é mais dada de modo evidente. Partindo dessa constatação, o presente artigo tem como objetivo tecer considerações acerca do personagem Amaro, protagonista do romance Bom Crioulo, de Adolfo Caminha. Esse livro, publicado em 1895, causou muita polêmica por ser o primeiro romance brasileiro que retrata uma relação homossexual entre protagonistas. Assim, a obra esquecida pelo cânone durante muito tempo é fundamental para se recuperar o projeto literário do Naturalismo.


Texto completo:

PDF


INDEXADORES

Logo Latindex    

Logo DIADORIM

contador de visitantes