CURRÍCULO NA FRONTEIRA BRASIL/BOLÍVIA DE RONDÔNIA

Márcia Maria Rodrigues Uchôa

Resumo


O presente trabalho é um recorte de uma investigação acerca do currículo na fronteira Brasil/Bolívia do estado de Rondônia, tem como objetivo analisar a política curricular adotada pela Secretaria de Estado da Educação de Rondônia - SEDUC-RO e os currículos das escolas da rede estadual das cidades fronteiriças: Guajará-Mirim e Nova Mamoré. Trata-se de uma abordagem qualitativa, realizada pela pesquisa documental. A negação da cultura boliviana no currículo das escolas fronteiriças tem contribuído para a propagação do preconceito e da discriminação ao imigrante boliviano, uma vez que a rejeição do Outro e ao que é inerente a ele: língua, história e identidade geram, por conseguinte, o desprezo, a exploração e a expropriação, o que se observa de forma latente nesta região, pautada na ideia de uma suposta superioridade cultural dos brasileiros em relação aos bolivianos. Espera-se que este trabalho possa fomentar reflexões sobre a interculturalidade curricular nas escolas da fronteira, em vista da construção de uma educação dialógica e libertadora, que possa empoderar as culturas estigmatizadas.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBÓ, Xavier. Cultura, interculturalidade, inculturação. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

BARBERY, Noely de Oliveira. Histórico dos contatos Brasil-Bolívia. In: ______. O Ecossistema Lingüístico de Guajará-Mirim: a fala dos imigrantes bolivianos e a hipótese da interlíngua. Dissertação (Mestrado em Lingüística). Fundação Universidade Federal de Rondônia, 2004. p. 12-34.

BOLIVIA. Constitución Política del Estado (CPE) (7-Febrero-2009). Disponível em: https://www.oas.org/dil/esp/Constitucion_Bolivia.pdf. Acesso em: 30 out. 2017.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Gabinete do Ministro. Portaria nº 125/2014. Brasília, DF, 2014. Estabelece o conceito de cidades-gêmeas nacionais, os critérios adotados para essa definição e lista todas as cidades brasileiras por estado que se enquadram nesta condição. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=45&data=24/03/2014. Acesso em: 16 out. 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação, 2017.

CANDAU, Vera Maria (Org.). Interculturalizar, descolonizar, democratizar: uma educação “outra”? Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016.

DUSSEL, Enrique. 20 teses de política. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. 12. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

GOVERNO DO ESTADO DE RONDONIA. Secretaria de Estado da Educação. Referencial Curricular de Rondônia – Ensino Fundamental. Porto Velho: SEDUC, 2013.

MAGALHÃES, Giovanna Modé. O direito humano à educação e as migrações internacionais contemporâneas: notas para uma agenda de pesquisa. Cadernos Cenpec | Nova série, [S.l.], v. 2, n. 2, sep. 2013. ISSN 2237-9983. Disponível em: http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/178. Acesso em: 10 abr. 2018.

MARTINS, José de Souza. Fronteira: a degradação do Outro nos confins do humano. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2018.

MOREIRA, Carmen Teresa Velanga. Currículo e Realidade Multicultural na Fronteira – a Universidade Federal de Rondônia: possibilidades e enfrentamentos. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2003.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Declaração Universal dos Direitos Humanos. 1948. Disponível em: http://www.onu.org.br/img/2014/09/DUDH.pdf. Acesso em: 26 mar. 2018.

SACAVINO, Susana Beatriz. Educação descolonizadora e interculturalidade: notas para educadoras e educadores. In: CANDAU, Vera Maria (Org.). Interculturalizar, descolonizar, democratizar: uma educação “outra”? Rio de Janeiro: 7 Letras, 2016. p. 188-202.

SANTIAGO, Mylene Cristina; AKKARI, Abdeljalil; MARQUES, Luciana Pacheco. Educação intercultural: desafios e possibilidades. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

SOUZA, Celina. Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias ano 8, nº 16. Porto Alegre, 2006.

TEIXEIRA, Marco Antônio Domingues; FONSECA, Dante Ribeiro da. História regional: Rondônia. 4. ed. Porto Velho: Rondoniana, 2003.

UCHOA, Márcia M. R. Linguagem e Educação: um estudo sobre o processo de escolarização dos alunos bolivianos da zona urbana do Município de Nova Mamoré/RO, no período de 2008 a 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem). Fundação Universidade Federal de Rondônia, Guajará-Mirim, 2010.

UCHOA, Márcia M. R. Currículo Intercultural na Fronteira: um estudo sobre a política e as práticas de currículo na fronteira Brasil/Bolívia do estado de Rondônia. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) – PUC-SP, São Paulo, 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Culturas & Fronteiras