A MORTE DE ARTEMIO CRUZ E O SEGUNDO NASCIMENTO DE EMILIANO ZAPATA

Graziano Uchôa

Resumo


Refletindo a partir da argumentação do historiador mexicano Edmundo O’Gorman, de que a invenção é algo construído, uma “atribuição de ser”, pretendemos refletir como é possível interligar algumas angústias do personagem de Fuentes a uma base “real”, sendo aceitável pensar como a Revolução Mexicana (1910) ocorreu através dos olhos de Artemio Cruz (personagem idealizado por Carlos Fuentes). Em seguida pretendemos discutir como a Revolução Mexicana tem sido “inventada” por movimentos sociais mais contemporâneos, a exemplo do Movimento Zapatista, implicando na construção de um imaginário, logo, de algo que podemos chamar de realidade.

Palavras-chave


Zapatismo, Realismo Maravilhoso, História e Literatura.

Texto completo:

PDF


Resultado de imagem para PROPESQ UNIR