FORMAS DE LUTA E RESISTÊNCIA: AS AÇÕES DO SINDICATO DA ZONA DA MATA RONDONIENSE, MOBILIZAÇÕES E RELAÇÕES DIANTE DAS DEMANDAS CONTEMPORÂNEAS

Alan Cristian de Carvalho

Resumo


O presente artigo trata-se de parte das discussões existentes no trabalho de dissertação de mestrado sob o título O Movimento Sindical dos Servidores Públicos Municipais da Zona da Mata Rondoniense (2003-2012), e visa discutir e problematizar as principais ações do movimento do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Zona da Mata (SINSEZMAT). Entidade atuante na região denominada Zona da Mata Rondoniense, compreendendo sete municípios do Estado de Rondônia: Alta Floresta D’Oeste, Alto Alegre dos Parecis, Castanheiras, Nova Brasilândia D’Oeste, Novo Horizonte do Oeste, Rolim de Moura e Santa Luzia D’Oeste. Localizando-se na porção Centro-Sul do Estado de Rondônia. Diante do proposto, destaca-se o movimento de mobilização da entidade e dos servidores e servidoras sindicalistas no interior do estado de Rondônia, discutindo a representatividade, a luta dos servidores e servidoras em defesa das suas demandas, e o movimento de greve enquanto forte elemento de combate, luta e sociabilidade. A partir da discussão, pode-se inferir que as diversas construções e rupturas existentes no breve histórico de lutas sindicais, estão relacionadas a formação de ideias que contemplam a organização e formulação da consciência das diversas categorias que se inserem no movimento, além disso, percebe-se que em meio aos avanços existem inúmeros desafios em relação ao sindicalismo na contemporaneidade, e que as contradições e antagonismos presentes na sociedade e nas relações trabalhistas são as causas dos problemas e os motivos para a busca de soluções, contribuindo assim, para as transformações sociais, ou seja, alimentando, neste sentido, o “motor da história”.


Palavras-chave


Sindicalismo; Greve; Amazônia; Zona da Mata.

Texto completo:

PDF