THE PORTO VELHO MARCONIGRAM: NARRATIVAS DE PORTO VELHO NA PERSPECTIVA DO JORNAL NORTE-AMERICANO EDITADO E PUBLICADO EM TERRAS AMAZÔNICAS

Marcelo Zaboetzki, Isaac Lima de Freitas

Resumo


Neste trabalho propomo-nos a traduzir e analisar dois exemplares do jornal The Porto Velho Marconigram, que fora editado e publicado na região que recebia as obras da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré nos anos de 1910-11. Neste processo dialogamos com os teóricos Pós-coloniais, tais como, Edward Said (2011), Mary Pratt (1999) e Frantz Fanon (2013). Aproximamos o diálogo com críticos que debruçaram seus estudos nas representações amazônicas, a exemplo de: Euclides da Cunha (1999) e Neide Gondim (2007). Para compor o aparato historiográfico a pesquisa serve-se principalmente dos estudos de Manoel Rodrigues Ferreira (1987) e Francisco Foot Hardman (1988). Nesta perspectiva intentamos captar através das “lentes” norte-americanas as suas representações do espaço, do autóctone e as relações nestas “zonas de contato” buscando dar voz aos apagamentos e silenciamentos implícitos e explícitos nas narrativas presentes no jornal editado e publicado em pleno solo da Amazônia brasileira. No processo de tradução e escrita envolvemos técnicas da tradução oblíqua e literal, como também, tradução inter e intralingual. Neste processo o tradutor passa a ser também o escritor propondo uma leitura/releitura de “contraponto” das representações de um espaço que este também se vê inserido e é agente transformador através do seu contradiscurso. Nas conclusões que nos permitimos tecer, a pesquisa considera que as narrativas expostas no jornal apresentam uma visão colonizadora e de superioridade por parte dos norte-americanos sobre os demais sujeitos da narrativa. Considera também que há um apagamento da perspectiva do olhar do autóctone e demais estrangeiros não norte-americanos.


Palavras-chave


Jornal. Norte-americano. Amazônia. Pós-colonial.

Texto completo:

PDF


Resultado de imagem para PROPESQ UNIR