AS NARRATIVAS HISTORICAS VISUAIS COMO POSSIBLIDEDES INVESTIGATIVAS DA EDUCAÇÃO HISTÓRICA

Marcelo Fronza

Resumo


Neste artigo pretende-se investigar as ideias dos jovens estudantes da Educação Básica relativas ao conhecimento histórico com o objetivo de enfrentar a problemática que diz respeito à compreensão da complexidade das narrativas históricas audiovisuais, tais como as histórias em quadrinhos, os games, os filmes e sites da internet como, por exemplo, o YouTube, que abordam temas históricos, quando se pretende desenvolver a consciência histórica dos jovens do ensino fundamental e médio. Isso leva à pressuposição de que as fontes visuais, como o cinema, as histórias em quadrinhos, a internet e os games e jogos com temas históricos são formas de narrar que podem expressar e desenvolver a consciência histórica desses jovens alunos da Educação Básica brasileira (FRONZA, 2007, 2012; ARRUDA, 2009, 2011; ALFACE & MAGALHÃES, 2011; CARAMEZ, 2014; SCHMIDT, 2011; SOBANSKY et al, 2010). Essas narrativas históricas visuais permitem a investigação de como os jovens percebem, interpretam e se orientam no fluxo temporal entre o passado, o presente e as expectativas de futuro. Ao instigar a curiosidade dos estudantes, essas narrativas possibilitam que os jovens construam historicamente os seus posicionamentos políticos, estéticos, cognitivos e éticos perante os desafios que enfrentam em sua práxis vital (ABUD, 2003; BRANCO & PINHEIRO, 2006; LAGNY, 2012; MISKELL, 2011; NASCIMENTO, 2012).

Palavras-chave


Narrativas históricas visuais; Educação Histórica; Aprendizagem histórica dos jovens.

Texto completo:

PDF