A CONSTTUIÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM HANNAH ARENDT: POR UMA RESIGNIFICAÇÃO SEMÂNTICA DO CONCEITO DE “POLIS” PARA HISTORIOGRAFIA DO MUNDO ANTIGO

Diego Avelino de Moraes Carvalho

Resumo


De modo genérico, o conceito de “Polis” sempre esteve ligado ao de “Cidade-Estado”, de localidade física e institucionalizada. Doravante, a filósofa Hannah Arendt vem lançar luzes sobre esse entendimento, compreendendo a “Polis”, antes, numa esfera existencial, filosófica, de um espaço interpessoal resultante da ação coletiva de cidadãos reunidos para tratar de interesses comuns e não de um aglomerado urbanístico, ou mesmo de um Estado na concepção moderna do termo. Tal afirmação é de extrema importância, pois nos faz repensar a categoria de identidade política helênica tomando como referência um conjunto de crenças, hábitos e visões de mundo comum que se expressam num espaço não concreto e necessariamente institucionalizado. A proposta desta comunicação, portanto, é de apresentar a noção de “espaço público” como expressão semântica genuína do conceito de Polis dentro da obra de Hannah Arendt.


Palavras-chave


Polis, Espaço Público, Hannah Arendt

Texto completo:

PDF