Chamadas abertas: Volume 30, Jan.-Jun. de 2019, Dossiê "Imaginário medieval: fontes, temas e métodos"

ORGANIZADORES: PROF. DR. GUILHERME QUEIROZ DE SOUZA (UFPB) e PROFA. DRA. RAQUEL DE FÁTIMA PARMEGIANI (UFAL)

 Devido aos esforços principalmente da “terceira geração” da Escola dos Annales, os historiadores começaram a perceber que deveriam ir além do estudo daquilo que chamamos de “realidade” objetiva. Para que o passado seja compreendido de forma satisfatória, também devemos levar em conta as imagens (verbais ou visuais), os sonhos e os mitos construídos pelas sociedades. De acordo com Jacques Le Goff, o imaginário é um “fenômeno coletivo, social e histórico”; segundo Jean-Claude Schmitt, ele “consiste em narrativas míticas, em ficções, em imagens, partilhadas pelos atores sociais”; já para Hilário Franco Júnior, podemos defini-lo como “histórico, coletivo, plural, simbólico e catártico”.

Tais historiadores acreditam que o imaginário não consiste apenas em estratos antigos e persistentes nos pensamentos e nos comportamentos, mas em imagens, palavras e gestos que encontram plenamente seu sentido nas estruturas e no funcionamento da sociedade em uma época dada. Essa perspectiva permite uma aproximação às formas pelas quais os homens do passado compreenderam e vivenciaram sua experiencia histórica. Assim, o presente Dossiê Temático da Revista Labirinto pretende congregar trabalhos relacionados ao imaginário medieval, cuja principal característica talvez tenha sido a significativa influência do cristianismo. Buscamos pensar a relação entre o imaginário social e a organização concreta das sociedades da Idade Média, por meio de um diálogo entre as esferas social, cultural, política etc.

PRAZO PARA SUBMISSÃO DOS ARTIGOS: 27 DE ABRIL A 25 DE JULHO DE 2019