Ensaio a partir dos territórios alternativos faxinalenses do centro-sul paranaense

Anderson Pedro Laurindo, Tiago Augusto Barbosa, Antonio Liccardo

Resumo


A interconectividade de setores científicos é campo de grande interesse contemporâneo, sobretudo pela condição de busca paradigmática de aproximação com a complexidade. A partir das sociabilidades e acoplamentos de sistemas em comunidades rurais da região centro-sul do Paraná, apresenta-se este esforço em entender as relações do território com os atores destas comunidades. Pôde-se notar que a inteligência multicultural é derivada do espaço vivido e se relaciona sinergicamente com noções de educação social. Na (re)produção do território, são essenciais as práticas territoriais, a partir das relações comunitárias, favorecendo assim, o entendimento da formação dessas comunidades alternativas, chamadas Faxinais. O entendimento de que as formas de construção da inteligência coletiva gerenciam o modo de vida comunitário, pode ser estabelecida sob a ótica da Educação Social. A tônica da alternativa de modo de vida se mostra como elementos de importância singular para a afirmação da identidade, manutenção da cultura e procedimentos de educação.


Palavras-chave


Multiculturalidade. Educação Social. Inteligência Cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


ARANHA, M. L. A. História da educação e da Pedagogia. São Paulo: Moderna, 2006.

CHANG, M. Y. Sistema Faxinal: uma forma de organização camponesa em desagregação no centro-sul do Paraná. Londrina: IAPAR, 1988. 121 f. (Boletim Técnico, 22).

CUNHA, Luiz Alexandre. Gonçalves. Os faxinais como territórios sociais. In: ENCONTRO DOS POVOS FAXINAIS, 1. 2005, Irati. Anais. Irati: IAP, 2005.

FONSECA, V. Introdução às dificuldades de aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 1995.

FORTES, M. F. A. Juventude e escola. DOXA - Revista Sem. do Unileste-MG, n. 9, jan./jun. 2003.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 27. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2003.

HAESBAERT, Rogério. O Mito da desterritorialização: do fim dos territórios à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. 400 p.

INEP. Enciclopédia de Pedagogia Universitária. Glossário. v.2. 2006.

LÖWEN SAHR, Cicilian Luiza. Povos tradicionais e territórios sociais: Reflexões acerca dos povos e das terras de Faxinal do bioma da mata com araucária. In: III Simpósio Nacional de Geografia Agrária, 3. Simpósio Internacional de Geografia Agrária - Jornada Ariovaldo Umbelino de Oliveira. 2. 2005, Presidente Prudente. Anais. Presidente Prudente: UNESP, 2005. 1 CD-ROM.

LÖWEN SAHR, Cicilian, Luiza. O pré-moderno na pós-modernidade: refletindo sobre as comunidades de faxinais da Floresta com Araucária. In: MARAFON, G. J.; RUA, J.; RIBEIRO, M. A. (Org.) Abordagens teórico-metodológicas em Geografia Agrária. Rio de Janeiro: Eduerj, 2007. p. 207-223.

RIBAS MACHADO, Érico. A constituição da Pedagogia Social na realidade educacional brasileira. 2015. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Educação. Florianópolis.




DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2020.4269



Direitos autorais 2020 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.