Administração provincial e instrução pública em Minas Gerais (1834-1850)

Vera Lúcia Nogueira

Resumo


O presente artigo apresenta uma análise acerca da instrução pública em Minas Gerais por meio de um estudo sobre os principais agentes que exerceram a presidência da Província, a partir da criação da Assembleia Legislativa Provincial, em 1834. Com base na prosopografia dos políticos que estiveram à frente da administração e da legislação provincial, estabelece diálogo com a História Política e da Educação, analisando as medidas legais voltadas para a organização e regulamentação da instrução na Província. No estudo das relações político-culturais estabelecidas na sociedade brasileira dos Oitocentos, destaca-se o papel fundamental das elites políticas que assumiram a tarefa de construção e de organização do Estado nacional, na qual prepondera a participação da instrução e da educação da mocidade, como uma das principais pautas convergentes do Legislativo e do Executivo provincial.


Palavras-chave


Presidência de Província. Legislação educacional. História da Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Renata Fernandes Maia de. Organização da instrução na província de Minas Gerais - da legislação aos relatórios dos presidentes (1850-1889). 2007. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-graduação em Educação. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 2007.

BRASIL. Constituição Política do Império do Brasil. Carta de Lei de 25 de março de 1824. Manda observar a Constituição Política do Império, oferecida e jurada por Sua Majestade o Imperador. Disponível em: http://www.monarquia.org.br/pdfs/constituicaodoimperio.pdf>. Acesso em 09 mar. 2016.

BURKE, Peter. A Escola dos Annales. São Paulo: UNESO, 1990.

CARVALHO, J. M. de. A Construção da Ordem: a elite política imperial; Teatro das Sombras: A política imperial. 4.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

CASTANHA, André Paulo. O Ato Adicional de 1834 e a instrução elementar no Império: descentralização ou centralização. 2007. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2007.

CASTANHA, André Paulo. O ato adicional de 1834 na história da educação brasileira. Revista Brasileira de História da Educação. Campinas. Volume (6), n° 11 jan./jun., 2006, p. 169-195.

CORRÊA, Carlos Humberto P. A Presidência de Província no Império. ANPUH – XXII Simpósio Nacional de História – João Pessoa, 2003. Disponível em: http://anpuh.org/anais/wp-content/uploads/mp/pdf/ANPUH.S22.113.pdf

DOLHNIKOFF, M. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil. São Paulo: Editora Globo, 2005.

CHARLE, Christophe. A prosopografia ou biografia coletiva: balanço e perspectivas. In: HEINZ, Flávio M. (Org.). Por outra história das elites. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006, p. 41 – 53.

FALCON, Francisco. História e poder. In: CARDOSO, Ciro Flamarion, VAINFAS, Ronaldo (orgs.). Domínios da história: ensaios de teoria e metodologia. 5 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997, p. 97- 138

FERRAZ, Sérgio Eduardo. A dinâmica política do Império: instabilidade, gabinetes e Câmara dos Deputados (1840-1889). Rev. Sociol. Polit., v. 25, n. 62, p. 63-91, jun. 2017, p. 71.

FERRARI, Marcela. Prosopografía e historia política. Algunas aproximaciones. Antíteses, vol. 3, n. 5, jan.-jun. de 2010, pp. 529-550. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses. Acesso em novembro de 2018.

FERRONATO, Cristiano de Jesus. Construindo uma nova ordem: o debate educacional na Assembleia Constituinte de 1823. Dissertação. (Mestrado em Educação) Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2006.

FONSECA, Thais Nívea de Lima e. História da Educação e História Cultural. In: VEIGA, Cynthia Greive; FONSECA, Thais Nívea de Lima e (Org.). História e Historiografia da Educação no Brasil. Belo Horizonte, Autêntica Editora, 2003, p. 49-76.

GONDRA, José Gonçalves; SCHNEIDER, Omar. Educação e instrução nas províncias e na Corte Imperial (Brasil, 1822-1889). Vitória: EDUFES, 2011. (Coleção Horizontes da pesquisa em história da educação no Brasil)

GONDRA, José Gonçalves; SCHUELER, Alessandra. Educação, poder e sociedade no Império Brasileiro. São Paulo: Cortez, 2008.

HEINZ, F. M. (Org.) História social das elites. (Org.). Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

INACIO, Marcilaine Soares. O processo de escolarização e o ensino de primeiras letras em Minas Gerais (1825-1852). Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Educação de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2003.

LE GOFF, J.; NORA, P. (orgs). (1988). História: Novos Problemas, Novas Abordagens, Novos Objetos. 3 vol. Rio de Janeiro: Francisco Alves [original: 1974].

LOPES, Eliane Marta Teixeira; CHAMON, Carla Simone. Aspectos da Educação na Província de Minas Gerais. In: CARVALHO, Carlos Henrique de; FARIA FILHO, Luciano Mendes de. (Org.) História da Educação em Minas Gerais: da Colônia à República. Volume 2, 2019, p. 5-12.

NOGUEIRA, Vera Lúcia; PAULA, Dalvit Greiner de. A presidência de província e a instrução pública como fatores de ampliação do espaço público no Império brasileiro. Cadernos de História da Educação, v.17, n.3, p.627-649, set./dez. 2018.

OLIVEIRA, Carlos Eduardo França de. O Farol, O Observador e a Voz: o debate sobre a federação e a reforma constitucional na imprensa paulista (1830-1832). Almanack, Guarulhos, n.20, p. 132-153, dez 2018. Disponível em: . Acesso em abril de 2019.

OLIVEIRA. Carlos Eduardo França de. Poder local e palavra impressa: a dinâmica política em torno dos Conselhos Provinciais e da imprensa periódica em São Paulo, 1824-1834. Dissertação. (Mestrado em História). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

OLIVEIRA, Jéssica Manfrim de. Entre “Grandes e titulares: os padrões de nobilitação no Segundo Reinado. Dissertação (Mestrado em História Social). Universidade de são Paulo, São Paulo, 2016.

PAULA, Dalvit Greiner de. Escola Brasileira: O projeto de educação moral para a mocidade brasileira em José da Silva Lisboa, visconde de Cairu (1756-1835). Dissertação (Mestrado). Universidade do Estado de Minas Gerais, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Belo Horizonte, MG, 2016.

RIZZINI, Irma; ARAÚJO, Sônia Maria da Silva. Educação e Instrução nas Províncias do Pará e Amazonas. IN: GONDRA, José Gonçalves; SHNEIDER, Omar (Org.). Educação e Instrução nas províncias da corte imperial (1822-1889). Vitória: EDUFES, 2011.

SALES, Zeli Efigênia Santos de. O Conselho Geral da Província e a Política de Instrução Pública em Minas Gerais (1825-1835). Dissertação. (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação/ UFMG. Belo Horizonte. 2005.

SARAIVA. Luiz Fernando. O império em Minas Gerais: economia e poder na zona da mata mineira do século XIX. Anais do XIII Seminário sobre a Economia Mineira, 2008, Disponível em: https://ideas.repec.org/s/cdp/diam08.html. Acesso em janeiro de 2019.

SLEMIAN, Andréa. “Delegados do chefe da nação”: a função dos presidentes de província na formação do Império do Brasil (1823-1834), in: Almanack Brasiliense. São Paulo, n. 6, p. 20-38, novembro, 2007. Disponível em: . Acesso em agosto de 2018.

STONE, L. Prosopografia. Rev. Sociol. Polit. [Online]. 2011, vol.19, n.39, p. 115-137.

VEIGA, Cynthia Greive. A escola no processo de organização do Estado-nação e de invenção do cidadão. In: LOPES, Eliane M. Teixeira; HAMON, Carla Simone (Org). História da Educação em Minas Gerais: da Colônia à República. Vol. 2 (Império). Uberlândia: EDUFU, 2019, p. 257-76.

VEIGA, Cynthia Greive. A escolarização como projeto de civilização. Trabalho apresentado na sessão especial da 25º Reunião da ANPED, Caxambu, MG, set/out/nov/dez, 2002, nº 21.

VEIGA, Cynthia Greive. História Política e História da Educação. In: VEIGA, Cynthia Greive.; FONSECA, Thais Nivia de Lima e. (Org.). História e Historiografia da educação no Brasil. 1ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, v. 1, p. 13-48.




DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.4253



Direitos autorais 2019 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.