Ensino religioso e as religiões afro-brasileiras: visões de um professor

Rusiane da Silva Torres, Guilherme Paiva de Carvalho

Resumo


Esse trabalho tem como finalidade analisar o Ensino Religioso perante as múltiplas religiões, tomando como objeto de análise uma escola pública, localizada no município de Apodi-RN. Diante do objetivo estabelecido, a investigação possui um caráter exploratório-explicativo, usando entrevista semiestruturada como técnica de pesquisa. A entrevista foi realizada com o professor da disciplina Ensino Religioso. Para iniciar as discussões acerca do componente curricular Ensino Religioso nas escolas públicas do Brasil, usaremos Passos (2006), além de documentos oficiais que regulam a educação, entre eles a Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB (1996). Candau (2008) dará contribuições para a compreensão do multiculturalismo presente na sociedade brasileira, enquanto Hall (1997) auxiliará a entender as identidades diante de sociedades heterogêneas. Para compreender a laicidade, traremos as ideias de Valente (2018). A partir da pesquisa foi possível perceber que na escola analisada o professor se detém a explicar a História das religiões de origem cristã, desconsiderando discussões aprofundadas acerca das religiões afro-brasileiras. A disciplina precisa adotar mecanismos para auxiliar no combate à intolerância e ao desrespeito às práticas religiosas.


Palavras-chave


Ensino Religioso. Diversidade religiosa. Laicidade. Religiões afro-brasileiras.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases Da Educação Nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. – 11. Ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2015. – (Série legislação; n. 159).

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em: Acesso em: 07 Jan. 2019.

BRASIL. Lei 10.639/2003, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Disponível em: Acesso em: 10 Jan. 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CP 01/2004. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Diário Oficial da União. Brasília, 22 de junho de 2004.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília. 2017. Disponível: acesso em 21 Dez 2018.

CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. IN: MOREIRA, Antônio Flávio, CANDAU, Vera Maria (orgs.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas / 2. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CANDAU, Vera Maria. Cotidiano escolar e práticas interculturais. Cadernos de Pesquisa v.46 n.161 p.802-820 jul./set. 2016.

CAPUTO, Stela Guedes. Ogan, adósu, òjè, ègbónmi e ekedi: O candomblé também está na escola. Mas como?. IN: MOREIRA, Antônio Flávio, CANDAU, Vera Maria (orgs.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas / 2. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

GIUMBELLI, Emerson. O fim da religião: dilemas da liberdade religiosa no Brasil e na França. São Paulo: Attar, 2002.

HALL, Stuart. Identidades culturais no pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Ed., 1997.

HOUTART, Francois. Sociologia da Religião. São Paulo: Ática, 1994.

JUNQUEIRA, S. R. A; CORRÊA, R. L. T; HOLANDA, A. R. R. Ensino Religioso: aspectos legal e curricular. São Paulo: Paulinas, 2007.

MARIANO, Ricardo. Neopentecostais: sociologia do novo pentecostalismo no Brasil. São Paulo, Edições Loyola, 2014.

MOURA, Glória. O direito à diferença. in: MUNANGA, Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005, p. 69-92.

PASSOS, J. D. Ensino Religioso: construção de uma proposta. São Paulo: Paulinas, 2007.

PRANDI, R.; SANTOS, R. W. Quem tem medo da bancada evangélica? Posições sobre moralidade e política no eleitorado brasileiro, no Congresso Nacional e na Frente Parlamentar Evangélica. Tempo Social, Revista de Sociologia da USP, v. 29, n. 2, 2017, p. 187-214.

SANTOS, Sales Augusto dos. Movimentos negros, educação e ações afirmativas. Brasília. Universidade de Brasília, 2007. 554 p. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

SILVA, Ana Célia de. A desconstrução da discriminação no livro didático. in: MUNANGA, Kabengele (org.). Superando o racismo na escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005, p. 21-37.

SILVA, Marinilson. Em Busca do Significado do Ser Professor do Ensino Religioso. João Pessoa: Ed. Universitária UFPB, 2010.

SOUZA, Rodrigo Augusto de. Novas perspectivas para o Ensino Religioso: a educação para a convivência e a paz. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.21, n.1, p. 25 - 49, jan./jun.201 3. Disponível em: http://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/index Acesso em: 15 Maio 2019.

VALENTE, Gabriela Abuhab. Laicidade, Ensino Religioso e religiosidade na escola pública brasileira: questionamentos e reflexões. Pro.posições. V. 29, N. 1 (86) | jan./abr. 2018, p.107-127.




DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.4239



Direitos autorais 2019 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.