Representações sociais de "bom professor": o que pensam os estudantes de licenciatura

Sônia Bessa, Elton Anderson dos santos Castro, Jadir Gonçalves Rodrigues

Resumo


Esse estudo trata de pesquisa que teve como objetivo identificar as representações de "bom professor" por estudantes de licenciatura da Universidade Estadual de Goiás. Optou-se na abordagem pela teoria das representações sociais de Moscovici e Abric através de redes semânticas naturais. Os dados foram coletados por meio de evocações livres. Participaram 220 estudantes de 6 cursos de licenciatura. Sete palavras definiram o núcleo central das representações: compreensivo, educado, atencioso, paciente, inteligente, comprometido e dedicado. Foram analisados resultados relacionados ao gênero, idade e nível acadêmico, porém diferenças significativas foram encontradas somente quanto ao nível acadêmico. Verificou-se homogeneidade nas representações de todos os cursos quanto à competência profissional e as qualidades humanas requeridas do professor. As representações estão permeadas de ideias ligadas ao senso comum.


Palavras-chave


Representações Sociais. Professor. Competência Profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRIC, J. C. L'organisation interne des representations sociales: système central et système périphérique. Em, C. Guimelli (Org.) Structures et Transformatwns des Representations Sociales. Neuchâtel: Delachaux et Niestlé, 1994.

ABRIC, J. C. Pratiques sociales et représentations. Paris: Presses Universitaires de France, 1994a.

ABRIC, J. C. Prefácio. In Sá, Celso. Pereira. Núcleo central das representações sociais. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

ABRIC, J.-C. A Abordagem Estrutural das Representações Sociais. In: Moreira, A. S. P. & Oliveira, D. C. (Org.). Estudos Interdisciplinares de Representação Social. 2. ed. Goiânia: AB, 2000.

ANDRÉ, M. Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas, SP: Papiros, 2016.

ANDRE, M. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 174-181, set./dez. 2010.

ARAÚJO, H. Profissionalismo e ensino. Cadernos de Ciências Sociais, Porto, n. 3, p. 55-103,1985.

ARRUDA, A. Teoria das representações sociais e teorias de gênero. Cad. Pesquisa. [online]. 2002, n.117, p.127-147, 2002.

BASTOS, C. C. B. C; ROVARIS, N. A. Z. A relevância do processo de autoavaliação institucional da universidade tecnológica para a configuração do bom professor. Revista Avaliação, Sorocaba, SP, v. 21, n. 3, p. 767-781, nov. 2016.

BRAGA DA CRUZ, M. et al. A situação do professor em Portugal: relatório da comissão criada pelo despacho 114/ME/88 do Ministério da Educação. Análise Social, Lisboa, v. 24 n. 103, p. 1187-1293, 1988.

BRZEZINSK, I. Sujeitos sociais coletivos e a política de Formação inicial e continuada emergencial de Professores: contradições vs conciliações. Educ. Soc., Campinas, v. 35, n. 129, p. 1241-1259, out./dez. 2014.

CABALÍN, S. D ; NAVARRO, H. N. Conceptualización de los estudiantes sobre el buen profesor universitario en las Carreras de la salud de la Universidad de La Frontera-Chile. International Journal of Morphology, v. 26, n. 4, p. 887-892, 2008.

CANDIDO, C. M. et. Al. A representação social do “bom professor” no ensino superior. Revista Psicologia & Sociedade, 26(2), p. 356-365, 2014.

CANDAU, V. M. A didática e a formação de educadores: a busca de relevância. Textos SP, 1983.

CERICATO, L. I. A profissão docente em análise no Brasil: uma revisão bibliográfica. Rev. bras. Estud. pedag. (online), Brasília, v. 97, n. 246, p. 273-289, maio/ago. 2016.

CUNHA, A. C. Representação do “bom” professor: o “bom” professor em geral e o “bom” professor de educação física em particular. Educação em Revista. Marilia, v.11. n. 2. p. 41-52, jul./dez 2010.

CUNHA, M. I. Impasses contemporâneos para a pedagogia universitária no Brasil. In LEITE, Carlinda (Org.) Sentidos da Pedagogia no Ensino Superior. Porto: Ciências da Educação, 2010.

CUNHA, M. I. O bom professor e sua prática. 18. ed. São Paulo: Papirus, 2006.

CUNHA, M. I. Inovações Pedagógicas: o desafio da reconfiguração de saberes na docência universitária. Cadernos de Pedagogia Universitária USP. v. 6, 2008.

FIGUEROA, J; GONZÁLEZ, E; SOLÍS, V. Una aproximación al problema del significado: Las redes semánticas, en Revista Latinoamericana de Psicología, vol. 13, núm. 3, Colombia: Fundación Universitaria Konrad Lorenz. 1981.

FEITOZA, L; CORNELSEN, J; VALENTE, S. Representação do bom professor na perspectiva dos alunos de arquivologia. Perspectiva em ciência da formação, v.12, n.2, p 158-167, maio/ago. 2007.

FERNANDES, E. Perfil psicossociológico e analítico do professor humanista. Revista da Universidade de Aveiro, Aveiro, p. 35-62, 1980.

FLAMENT, C. Structure ET dynamique dês representations sociales. In: Jodelet Denise (Org.) Les representations socials, p.204-219. Paris PUF. 1989.

GABRIELLI, J. M. W; PELÁ, N. T. R. O professor real e o ideal na visão de um grupo de graduandos de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem USP, v. 38, n.2, p. 168-174, 2004.

GATTI, B. Formação continuada de Professores: a questão psicossocial. Cadernos de Pesquisa, n. 119, p. 191-204, julho/ 2003. Disponível em Acesso em: 17 jan. 2018.

GATTI, B. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out./dez. 2010. Disponível em . Acesso em 25 jul. 2018.

GILBERTO, I. J. L; VAZ, J. A. O Docente no Curso de Arquitetura e Urbanismo: Percepções dos Alunos Sobre o Bom Professor. Revista Eletrônica Engenharia Viva v. 1, p.29-38, 2015.

GUIMELLI, C. Structures et transformations des représentations sociales. BMS: Bulletin of Sociological Methodology/Bulletin de Méthodologie Sociologique,1994.

LÜDKE, M. O educador: um profissional? In: CANDAU, V. Rumo a uma nova didática. Petrópolis: Vozes, 1988. p. 64-73. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/es/v25n89/22616. Acesso em: 02 jan. 2018.

LÜDKE, M; BOING, L. Caminhos da profissão e da Profissionalidade docentes. Educ. Soc., Campinas, vol. 25, n. 89, p. 1159-1180, set./dez. 2004.

MARTINS, A. M. S. As representações sobre o ser professor na década de 50. In: Jornada internacional sobre representações sociais, 1. 1998, Natal.Trabalhos apresentados... Natal, RN: [s. n.], 1998.

MAZZOTTI, A. J. A. Representações da identidade docente: uma contribuição para a formulação de políticas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 57, p. 579-594, out./dez. 2007.

MOLINER, P. I. Les méthodes de répérage et d'identification Du noyau dês représentations sociales. In: C.GUIMELLE (Org.) Structures ET transformations dês représentations sociales. Neuchâtel, Delachaux et Niestlé. 1994, p. 199-232.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. 3a edição. Editora Vozes. 2005.

NEMSER, S. F. Learning to teach. In: SHULMAN, L.; SYKES, G.; LED, I. Handbook of Teaching and policy. New York: Longman, 198, p. 25-39.

NOVOA, A. Para una formación de profesores construida dentro de la profesión. Revista de Educación, 350, set./dez., 2009, p. 203-218. Disponível em

< http://www.revistaeducacion.mec.es/re350/re350_09.pdf> acesso em 01 jan. 2018.

OLIVEIRA, E. S. G. Trabalho do professor: trabalho de Sísifo? Heróicas representações sociais da docência. In: Jornada internacional sobre representações sociais, 1. 1998, Natal. Trabalhos apresentados... Natal, RN: [s. n.], 1998.

PERRENOUD, P. A ambiguidade dos saberes e da relação com o saber na profissão de professor. In: PERRENOUD, P. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 135-193.

POSTIC, M. A Relação Pedagógica. Coimbra: Coimbra Editora, 1984.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. 2a edição. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002

TATEO, L. What do you mean by "teacher"? Psychological research on teacher professional identity. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 24, n. 2, p. 344-353, ago. 2012 .

TOLENTINO, P. C; ROSSO, A. J. As representações sociais dos licenciandos em ciências biológicas sobre o ser biólogo e o ser professor. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v.16, n. 03, p. 15-33, set./dez. 2014.

Valdez, J.L.M. Las Redes Semânticas Naturales: Usos y Aplicaciones em Psicologia Social. México Universidade Autonoma Del Estado do México, 1998.

VENTURA, M. C. A. et al. O “bom professor” – opinião dos estudantes. Revista de Enfermagem Referência. III Série, n. 5, dez. 2011.




DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.4003



Direitos autorais 2019 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.