Um olhar sobre o fazer artístico e os desafios do professor de arte nos anos iniciais

Edinaldo Gonçalves Coelho, Sorhaya Chediak

Resumo


O presente artigo tem como objetivo abordar o conceito de “atividade criadora” de Lev Vygotsky, bem como o “fazer artístico” segundo Ana Mae Barbosa, respondendo a dois questionamentos: O professor deverá impor limites nas atividades criadoras de arte? Como devem ser as intervenções do professor de arte nos anos iniciais? Buscamos responder tais questionamentos a partir da reflexão sobre como se dá a práxis pedagógica desses conceitos, e como as intervenções de professores de arte nos anos iniciais do ensino fundamental acontecem. Como suporte para nosso estudo, buscamos fundamentos na Abordagem Triangular de Ana Mae Barbosa e nos pensamentos de Vygotsky e Arnheim sobre a imaginação e a atividade criadora dos estudantes. Esta pesquisa caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica. Os resultados apontam a relevância da relação entre a prática e teoria na ação docente, assim como a necessidade do conhecimento dos períodos do desenvolvimento da criança para evitar que esses sejam acelerados.

 


Palavras-chave


Atividade criadora. Fazer artístico. Abordagem triangular. Arte-educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARNHEIM, Rudolf. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2005.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. São Paulo: Perspectiva, 1991.

BARBOSA, Ana Mae. A Imagem no Ensino da Arte: anos oitenta e novos tempos. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1994.

DONDIS, D. Donis. Sintaxe da linguagem visual. Trad. Jefferson L. Camargo. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FERRARI, Dércio F. M. Desenvolvimento Cognitivo: As Implicações Das Teorias De Vygotsky E Piaget No Processo De Ensino Aprendizagem. 2014. 37 f. Monografia (especialização em educação). UTFPR, PR.

FERREIRA, Ana Patrícia. A Importância do ensino de Artes visuais na educação infantil. 2015. 39 f. Monografia (especialização em artes visuais). UFMG, MG.

IAVELBERG, Rosa. Para gostar de aprender arte; sala de aula e formação de professores/Rosa Iavelberg. Porto Alegre; Artemed,2003.

MACHADO, Regina Stela (2010) “Sobre mapas e bússulas: apontamentos a respeito da abordagem triangular.” In: Barbosa, Ana Mae; Cunha, Fernanda Pereira da (Orgs.). A abordagem triangular no ensino das artes e culturas visuais. São Paulo: Cortez. ISBN 978-85-249-1664-9.

MARTINS, LM., and DUARTE, N., orgs. Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

VYGOTSKY, Lev. S. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico. Apresentação e comentários de Ana Luiza Smolka. Tradução de Zoia Prestes. São Paulo: Ática, 2009.




DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2019.3877



Direitos autorais 2019 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.