“Meu cérebro é morto”: relato de experiência sobre um caso de epilepsia

Carine Antonia Kremer, Suzana Rocha de Souza, Anatália Daiane de Oliveira

Resumo


Este artigo trata-se de um relato de experiência sobre um caso de epilepsia, no qual uma criança de nove anos é diagnosticada e recebe a notícia de forma inapropriada. Este texto tem como objetivo, portanto, relatar e refletir sobre o caso dessa criança, atendido em uma clínica escola de psicologia no interior do estado de Rondônia. Por tratar-se de um caso clínico, o método utilizado foi o atendimento psicoterapêutico, com sessões de cinquenta minutos que se estenderam por aproximadamente dez meses no ano de 2012, nas quais foram realizadas atividades lúdicas em uma sala para atendimento infantil. Percebe-se que a criança carrega forte rótulo imposto pelo médico, que juntamente com o diagnóstico dado pelo médico, foram utilizados pela escola para eximir sua responsabilidade em relação à aprendizagem dessa criança.


Palavras-chave


Epilepsia. Fracasso escolar. Aprendizagem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2017.2958



Direitos autorais 2018 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação



Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.