Vídeos educativos para o ensino de química: apontamentos sobre o Telecurso 2000

Wilmo Ernesto Francisco Junior, Celiane Leite de Souza, Elizabeth A. Leonel De Moraes Martines

Resumo


A linguagem audiovisual caracteriza-se por mobilizar diversos sentidos e percepções nos sujeitos expectadores, tendo seu uso reconhecido no processo educativo. No Brasil, o Telecurso 2000 desempenhou importante papel na difusão dos vídeos como ferramenta de ensino. Considerando sua importância histórica, neste trabalho foram analisadas as 50 vídeo-aulas de química do Telecurso 2000, com especial atenção para a abordagem experimental, animações, visão de ciência e problemas conceituais. Os vídeos foram integralmente assistidos para registro das passagens das categorias estabelecidas, sendo assistidos novamente para análise. A presença de experimentos é marcante, tanto pela quantidade (78 no total), quanto pela abordagem que considerou na maioria dos casos uma perspectiva investigativa. As animações, em geral conjunta aos experimentos, podem se mostrar um auxílio para a construção de conceitos abstratos, apesar de sua simplicidade. A visão de ciência denota uma ênfase demasiada na observação, mas também se observa o caráter humano nessa construção. Em relação aos problemas conceituais, a maioria se refere a desatualizações de terminologias ou excessivas simplificações da linguagem, sendo encontrados três casos de conceitos equivocados cientificamente. A pouca exploração da simbologia química é um fator que necessita de atenção. De forma geral, os resultados apontam potencialidades do material, sobretudo tendo em vista a difusão da ciência química por meio do audiovisual.


Palavras-chave


Vídeo. Tecnologias da educação. Recurso didático.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2017.2674



Direitos autorais 2017 EDUCA - Revista Multidisciplinar em Educação



Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.