Vozes infantis: compreendendo o que as crianças nos ensinam sobre o que sabem das relações de gênero

Renata Aparecida Carbone Mizusaki

Resumo


Neste trabalho pretende-se discutir o modo como meninos e meninas da educação infantil expressam suas ideias, concepções e crenças acerca dos papéis, funções sociais e relações de gênero. Através de observações diretas em salas de aula de pré-I e pré-II, foi possível compreender que meninos e meninas expressaram suas concepções sobre o ser masculino e ser feminino de modo a reafirmar padrões sociais vigentes, naturalizando o poder e o comando como sendo condutas típicas masculinas, enquanto que as meninas apresentaram comportamentos de passividade e obediência, comportamentos estes expressos principalmente durante as brincadeiras e na “hora do parquinho”. Diante disso, torna-se fundamental o questionamento provocativo dessas relações de modo que discursos e práticas possam ser, reflexivamente, realinhados numa dimensão dinâmica, cidadã, rompendo assim com a cristalização de valores cristalizados em padronizações e dicotomias preconceituosos, pautados na heterormatividade.  


Palavras-chave


Relações de gênero. Educação infantil. Formação de professores(as)

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26568/2359-2087.2014.1099



Direitos autorais



Revista EDUCA     |     e-ISSN 2359-2087     |     DOI https://doi.org/10.26568

A Revista Educa é signatária da DECLARAÇÃO DO MÉXICO - Declaração Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomenda o uso da licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual (CC BY-NC -SA, em inglês) para garantir a proteção da produção acadêmica e científica regional em Acesso Aberto.

Educa Journal is signatory of MEXICO DECLARATION - LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT Joint Declaration recommending the use of the license to ensure the protection of academic production and regional scientific research in Open Access.

La Revista Educa es signataria de la DECLARACIÓN DE MÉXICO - Declaración Conjunta LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT que recomienda el uso de la licencia Creative Commons Asignación-NoComercial-CompartirIgual (CC BY-NC -SA, en inglés) para garantizar la protección de la producción académica y científica regional en Acceso Abierto.